domingo, 19 de julho de 2015

Antes do Começo #02 - Auria ou Aleafar?

Um Pouco mais sobre Aleafar, a Princesa em Apuros
A Guerreira do Coração de Ferro

Minhas histórias sempre começavam com um clichê clássico: A mocinha é sequestrada por um temível vilão, o que leva um herói lendário a sair numa busca para resgatá-la.

Durante muito tempo as tramas giraram em torno disso. Salvar a garota/namorada/princesa que é sequestrada, no melhor estilo "sorry, but your princess is in another castle!" dando assim continuidade à jornada. Sempre acabo rindo quando releio meus gibis antigos e percebo que no meio de tantas desventuras meus personagens praticamente esqueciam o motivo principal pelo qual estavam ali, e acabavam se aventurando em algo maior. Era como se resgatar a princesa não fosse mais o objetivo principal e eles só estivessem se divertindo juntos. No final, inevitavelmente, sempre acabavam se unindo para derrotar o vilão (a princesa em apuros vinha de brinde). Seria tudo isto fruto de uma tremenda falha de roteiro, ou sou eu, que nunca apreciei essa ideia de minhas aventuras girarem em torno de uma dama em perigo?

Analisando com mais cuidado estes primeiros manuscritos, percebo que havia uma série de fatores curiosos sobre nossa principal protagonista do sexo feminino que valem a pena serem compartilhados.

A primeira personagem mulher que criei chamava-se Aleafar (percebam a leve semelhança com o nome Rafaela de trás para frente, só não me perguntem o motivo), e na realidade ela nunca foi uma princesa nem nada. Eu não usava princesas em minhas histórias, Aleafar era apenas uma garota comum que terminava raptada por um cara que não gostava dela e na realidade só fazia aquilo para chamar atenção do Ralph (masoque?). Pode ser que eu não gostasse de desenhá-la, então tinha de dar um chá de sumiço nela.

Aleafar, exatamente como Ralph, foi baseada em uma personagem da série The Legend of Zelda: Oracle of Ages, mais precisamente em Nayru. A primeira cena de meu gibi lembra muito o que rola no jogo; Nayru é raptada, bichinhos da floresta, tornado macabro e afins. É neste ponto onde Link — no caso de minhas histórias, Ralph  é levado na aventura que está prestes a se iniciar.

Gosto de acreditar que, com minha visão inocente do mundo na época, o principal fator que levava Ralph a ir atrás de Aleafar não era porque ele a achava bela ou desejava tê-la como prêmio  ela era sua amiga.
Cresci em um meio onde minhas irmãs assistiam filmes de princesas e brincavam de boneca. Elas eram meigas e delicadas... Logo cresci acreditando que mulheres deviam ser assim; doces, finas, bondosas e com alguém sempre disposto a protegê-las. Muito tempo passou até que eu percebesse a ilusão onde eu estava metido. Os tempos mudaram, ainda adoro as princesas da Disney, mas quem é que não se impressiona com a ousadia da Merida em Valente, ou no quanto Elsa conquistou o coração das pessoas ao redor do mundo em Frozen? Foi justamente essa transição que transformou completamente a Aleafar que conheceremos em Matéria.

Auria, mesmo anos depois de ter sido criada, ainda era uma personagem feminina clássica que usa arco-flecha e é sempre meiga e delicada. Seria por um medo do autor de que ela se ferisse? A personagem mudou drasticamente desde então, estou ansioso para que vocês a conheçam!
Minhas personagens femininas não precisam mais ser resgatadas do castelo, muito pelo contrário, hoje elas se destacam na trama, lutam, falam, fazem graça, apaixonam-se, erram, e não esperam que os homens venham salvá-las. Quem não adora uma boa guerreira, como a Mulher Maravilha? Tenho trabalhado em muitas fics e originais diferentes, buscando relatar todo o tipo de personalidades diferentes para as mulheres, e tenho me divertido muito. Elas se tornaram, de longe, as minhas favoritas em muitas ocasiões. Vejam a Tih, uma personagem que criei para minha fanfiction Aventuras em Sinnoh, alguns velhos leitores devem conhecê-la...

A doce Aleafar deixou de existir, dando espaço para Auria, uma das guerreiras mais fortes do Reino de Sellure. Ela abandonou o canto e o arco e flecha para entrar na linha de frente, liderar as pessoas, derrubar seus inimigos. De donzela em perigo ela tornou-se o braço direito de Ralph, e ainda consegue ser extremamente amável. Seriam elas a mesma pessoa, ou duas completamente diferentes?

Eu estou adorando trabalhar com a nova Auria. Ela é independente, mas também profundamente apaixonada e indecisa, é uma moça que vive cometendo erros e aprendendo com eles, ela precisa tornar-se mais forte e quebrar barreiras para que o mundo a aceite.

Imagino se as pessoas passarão a gostar da Auria, se as garotas vão querer se espelhar nela e os rapazes se encantarão por seu charme. O que houve com a pobre Aleafar lá do início, você diz? Acho que ela ficou presa na torre e preferiu esperar ao tentar dar um jeito de sair... Quando o reforço não vem, às vezes nós mesmos precisamos dar um jeito, não?

  3 comentários:

  1. Cara que incrível, vc tem uma habilidade par criar personagens mulheres que é dms, Titânia que o diga xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, parceiro! Sempre adorei criar personagens femininas, ou melhor, passei a gostar muito kkk Acho que os leitores de hoje em dia também gostam muito dessas mulheres fortes e que sabem se defender, quero encontrar um equilíbrio para que a Auria seja diferente. Forte e poderosa, mas também muito amorosa e carinhosa dependendo das circunstâncias. Tenho muito a explorar com ela e outras que aparecerão no decorrer da trama, só espero que elas consigam algum dia se igualar ao nível da Tih! kkk Abraços!

      Excluir
  2. Auria mudou um tanto também na aparência, mas menos que Ralph rs Mas o mais legal que é a personalidade mudou bastante também e isso torna a experiência dela e dos outros personagens totalmente diferentes. ^^

    ResponderExcluir

Menu Principal






Menu Secundário






Estatísticas


POSTAGENS
COMENTÁRIOS
Tecnologia do Blogger.

Comentários Recentes

+ Lidas da Temporada