terça-feira, 25 de junho de 2019

Arte #29 - Os Tótines do Passado

Ah, aqui está. Uma das joias perdidas de Sellure, um desenho tão antigo que não se tem registro de seu tempo... Este, meus amigos, é a origem dos guardiões da Ordem do Selamento (quando ela ainda nem tinha esse nome).

Você deve estar se perguntando: o que são essas criaturinhas que mais lembram Porings no fundo do mar? Estes são os famosos tótines que vocês conhecerão nos livros, criaturas dotadas de poderes mágicos e que, bem, hoje em dia não se parecem nada com Porings, mas na primeira versão de Matéria eu ainda tentei introduzi-los dessa maneira.

O papel deles sempre foi de antagonistas na história, mas é engraçado pensar que a base de sua personalidade se manteve. Seguindo a ordem dos guardiões, veja:

  1. Bill - Conhecido como Apook 3, é o bichinho com uma faixa verde na cara. Ele sempre foi o ladrão do grupo;
  2. Tootie - Seu nome era Tutantótines. O Poring laranja com um acessório esquisito na cabeça, como se fossem os antigos egípcios;
  3. Elma - Seu nome era Exotines. Sua cor era verde, está em cima de uma espada com uma cruz enrolada. Ela sempre teve esse lado religioso;
  4.  Capitão Bernard - Conhecido como Generaltines, o chapéu de marinheiro foi mantido, muito parecido com o mesmo que Bernard usa hoje em dia. Ele sempre teve um Navio Fantasma;
  5. Elice - Ela se chamava Cristaltines, o bichinho azul com uma coroa. Seu elemento sempre foi o gelo;
  6. Aedan - Seu nome era Firetines, o de fogo dentro da bolha. Pelo visto, ele é sempre o que se ferra, como de costume.
Vocês podem perceber que três deles estão faltando, estes são os personagens que foram excluídos do livro: Antótines, Detótines e Ghostines, o que tem asinhas de anjo, asinhas de demônio e o que se parece com um fantasma. Eram antagonistas demais no livro, então a ordem diminuiu para acomodar cinco guardiões, sendo que Aedan e Elice contam como um só.

Espero que tenham curtido um pouco dessas informações de origem! Por sinal, este foi o primeiro desenho digital que recebi na minha vida. Pois é, quem desenhou e pintou isso na época foi o meu padrasto, anos antes de eu sequer aprender a usar um computador, e é presente que guardo até hoje com muito carinho.


segunda-feira, 24 de junho de 2019

Arte #28 - Os Guardiões da Ordem

É engraçado pensar que eu tenho a aparência dos membros da Ordem do Selamento planejada desde o finalzinho de 2015 e começo de 2016. Já dá para ter uma ideia de quanto tempo faz que estou planejando esse livro, e é um tremendo prazer finalmente postar a ficha de cada um deles com suas devidas informações.

Acho que esse desenho até já ficou meio obsoleto, noto uma diferença singela no traço, mas gosto de postar coisas antigas para eu lembrar o quanto evoluí. Espero daqui alguns anos voltar a desenhá-los, vou aperfeiçoando meu estilo com a mesa digitalizadora até notar uma evolução. Eles já evoluíram tanto desde a primeira versão que, por sinal, vocês poderão notar na próxima postagem...

sábado, 22 de junho de 2019

Canção da Madrugada [Support]

Support Conversation (Ralph x Auria)
Gênero: Drama, Romance;
Tema: Ralph e Auria compartilham suas inseguranças e confortam um ao outro,
assegurando que, o que quer que aconteça, eles irão superar juntos;
Sugestão do leitor(a): Feurdelis.

Ralph caminhava com passos leves, não gostaria que alguém acordasse só porque não conseguia dormir e estava ansioso demais para cair no sono novamente. A tarde de treinamento rendera bons frutos, mal podia esperar para embarcar na próxima missão.
          Raegar fora generoso ao convidá-los a ficar o tempo que quisessem, tinham uma vida aconchegante e tranquila no topo da colina, o que mais poderia pedir? Ralph dirigiu-se até a cozinha e preparou um copo de leite achocolatado, mas quando voltava para o quarto ouviu um som estranho vindo de um dos aposentos. Não gostava de bisbilhotar, mas aquele era o quarto de Auria. Quando encostou o ouvido na porta de madeira, ouviu o que parecia ser um instrumento musical e uma voz que cantarolava bem baixinho. Eram quase três da manhã, ninguém deveria estar acordado àquela hora.
Ficou ali ouvindo a canção com um sorriso no rosto. Não conseguia entender a letra, mas a melodia o fazia feliz.
Seus pensamentos voavam longe quando de repente a porta foi aberta e Ralph caiu para dentro do aposento de cara nos peitos de Auria que o segurou. A moça lhe dirigiu um sorriso travesso, mas não o repreendeu.
— O que faz acordado a essa hora, mocinho?
Ralph preparou uma série de desculpas, mas Auria fez um gesto com a cabeça, convidando-o a entrar. Não era a primeira vez que entrava no quarto dela desde que se instalaram na Pequena Colina, mas visitá-la na madrugada se provava uma sensação inédita. Os móveis projetavam sombras que bruxuleavam na parede devido o pequeno abajur que iluminava o recinto, Auria estava com seus óculos de grau e saltou na cama vestida com seu pijama — um short curtinho, blusa larga e a alça do sutiã caída sobre o ombro lhe davam um toque íntimo e delicado. Em sua escrivaninha repousava um aparelho de som que Ralph nunca vira antes, de onde a música saía e preenchia o ambiente.
— Tem algum monstro cantor preso aqui dentro? — perguntou o menino.
Auria riu diante da inocência dele.
— Não, bobinho. Isso é uma caixa de som, o Aedan comprou para mim nas Cidades Cinzentas. Eu costumava ter uma quando menina, mas ela quebrou — respondeu a moça. — Não sou fã da ciência, mas ouvir músicas de madrugada me deixa tranquila.
Auria voltou a aumentar o volume do rádio e esparramou-se em sua cama, olhando para o teto com os braços e pernas esticadas. Ralph sentou-se ao lado dela na beirada e perguntou com a voz meiga:
— O que você estava fazendo?
— Nada — respondeu a mulher. — É madrugada. Ninguém faz nada de madrugada. Quer dizer, muita coisa pode acontecer de madrugada, é um momento onde as pessoas estão tão frágeis e sinceras... às vezes, quando me sinto sozinha, eu olho para o céu de noite e penso que alguém também deve estar sentindo o mesmo que eu em algum lugar.
— Mas você ainda se sente solitária mesmo cercada de pessoas?
— Ah, é um tipo de solidão de diferente. Não se trata de afeto, porque tenho vocês ao meu lado e eu os amo demais. Só que às vezes gosto de estar sozinha com meus pensamentos e curtir o silêncio, e... ah, você deve estar achando tudo isso uma bobagem.
— Não, de maneira alguma! É só que nunca conheci alguém que pensasse assim, a madrugada para mim é como um território desconhecido. Mesmo que já tenhamos passado meses nos aventurando por Sellure, ainda estou descobrindo coisas novas sobre você, Auria.
Ralph acomodou-se ao lado dela na cama.
— Posso curtir essa madrugada solitária com você?
Auria sorriu, pois adoraria companhia. Os dois se aninharam a apenas alguns palmos de distância.
— Tenho a impressão de que a ouvi cantando — murmurou Ralph.
— Ah. Droga. — Auria ficou com as bochechas avermelhadas, tirou os óculos e começou a esfregar o rosto. — Pois é, você descobriu. Gosto de cantar sozinha nas madrugadas feito louca.
— Não creio que você seja louca — disse Ralph, aproximando-se dela. — Pode cantar um pouquinho para mim?
Auria corou ainda mais, jamais estaria preparada para um pedido daqueles. Pensou em todas canções que já ouvira durante a vida e quais delas seriam apropriadas para o momento. Ralph estava aconchegado em seus braços, ela acariciava seus cabelos quando teve uma ideia — escolheu uma canção de ninar que sua mãe cantava para ela quando menina, sua voz nem de perto se assemelhava ao timbre suave de Flora Mercer, mas ver Ralph aninhado com os olhos fechados ao seu lado a fez querer protegê-lo de tudo no mundo.
— Sua voz é linda — disse o garoto. — Me sinto protegido ao seu lado.
Ela sorriu satisfeita por alguém compreendê-la, sempre podia contar com Ralph para fazê-la sentir-se nas nuvens e segura de suas qualidades. Auria puxou o cobertor e escondeu-se ali embaixo para proteger-se do frio.
— Acho melhor você dormir aqui comigo hoje — ela insinuou, sentindo o rosto arder. — Por segurança.
Ralph não se moveu e nem deu sinais de que corresponderia, o que a fez ficar constrangida. Ele por fim sorriu, aquele sorriso que a enfeitiçava.
— Ah, não, pare... — Auria ficou toda envergonhada. — Quando você sorri assim para mim, sempre fico toda sem graça.
Ralph puxou o cobertor para perto do rosto para aquecê-los, Auria trocou a música no rádio e afundou sua cabeça no travesseiro, seus cabelos negros se emaranhavam em fios bagunçados. O silêncio nunca era constrangedor, eles se permitiam ouvir a música sem que alguém se cobrasse para puxar conversa. Nunca imaginara que poderia se sentir tão à vontade ao lado de alguém. 
Auria estava de olhos fechados quando ouviu Ralph pedir-lhe licença e tirar seus óculos do rosto.
— Eita, como é que você enxerga com isso? — brincou o menino, tentando olhar através das lentes de grau que ofuscavam sua visão.
— Eu uso para ver de longe, mas principalmente para leitura e descanso. Num geral, muita gente gosta de óculos como acessórios, sempre pensei em usar lentes... sabia que existem selos capazes de trocar a cor dos olhos? Eu detesto o meu verde, é tão clichê, sempre quis ter olhos escuros e profundos.
— Acho que você fica bem de qualquer maneira.
Auria levou sua mão em direção dele e manteve a palma aberta. A princípio Ralph tentou interpretar o gesto, pois sabia que devia existir algum significado oculto.
— Deixe-me ver o tamanho da sua mão — ela disse.
— Por quê?
— Motivos de pesquisa.
Ela escondeu uma risadinha malandra, mas se surpreendeu quando sentiu seus dedos se entrelaçarem com os dele. Estava perdendo completamente o controle de suas emoções, quis abraçá-lo e dizer o quanto se importava, mas como fazer aquilo sem querer insinuar nada? Adorava Ralph como se fosse seu irmãozinho, divertia-se em sua companhia, queria protegê-lo para sempre. Sua respiração ficou pesada e sentiu o rosto ferver.
— O que foi? — perguntou o menino com preocupação. — Sua testa está suando, será que está muito calor aqui embaixo do cobertor? Mas não quero que tome friagem, porque aí você ficaria doente.
— Sua mão é tão macia. — Auria começou a massageá-lo com delicadeza. — Consegue me sentir?
— Sim — Ralph respondeu. Estava bem escuro. — Eu sinto você por perto.
De repente, foi como se um turbilhão de emoções aflorasse ao mesmo tempo. A madrugada tinha aquele efeito sobre ela, Auria lembrou-se por que não conseguia dormir — estava preocupada demais com os resultados do exame da academia, em breve teria que abandonar a Pequena Colina e retomar seus treinos na Vila das Pérolas em Myriad. Quanto tempo levaria para voltar? Será que Ralph e os demais a esqueceriam enquanto estivesse fora, como muitos de seus colegas fizeram quando era mais nova? Auria temia que acabasse sozinha outra vez e aquela sensação maravilhosa de viajar por Sellure ao lado de Ralph, Lesten, Lee e Hayley não passasse de lembranças perdidas.
Os dois se envolveram num forte abraço e Auria o trouxe para mais perto de seus braços.
— Você promete que nunca vai me esquecer? — ela perguntou.
— Por que essa preocupação? — o garoto sorriu. — Até hoje, não há nenhuma pessoa que entrou em minha vida por acaso. Todos vocês têm um lugar especial.
— É que... você sabe que pretendo voltar para a Vila das Pérolas, Ralph. Dessa vez vou treinar mais do duro que jamais treinei, vou garantir meu espaço no exército. Sei o que quero e vocês me ajudaram a perceber isso com clareza. O único problema é que... — ela fez uma pausa —, tenho medo da distância nos separar e, quando nos reencontrarmos, sejamos como completos estranhos.
Ralph sentou-se na cama e juntou suas mãos com as dela.
— Eu vou esperar. Você é a minha guerreira, meu braço direito. Se isso te deixar mais tranquila, vou te mandar cartas sempre que puder! Eu poderia te esperar para sempre.
— Obrigada por acreditar em mim. Mal posso esperar para que possamos fazer isso mais vezes.
— Fazer o quê? Nós não fizemos nada hoje.
— Como não? Você me fez companhia, ficamos perto um do outro. Eu não trocaria esses minutos de paz ao seu lado por nada nesse mundo.
— Eu sou muito afortunado por ter vocês como amigos.
Auria sempre se encantara com o sorriso dele — suas bochechas levantam e os olhos quase sempre se fechavam, expondo os dentes branquinhos e as marquinhas de expressão. Será que ele nunca se cansava de sorrir? Sabia que o estoque de sorrisos de Ralph jamais se esgotava, mas, se pudesse, queria que aquele sorriso pertencesse somente a ela.
Ralph riu aninhou-se para mais perto, deitando a cabeça em seu busto e ouvindo seu coração bater na mesma intensidade que o seu. E então, ele falou como se pudesse ler seus pensamentos:
— Uma parte minha sempre será só sua.
Os dois permaneceram assim, em silêncio, aproveitando o sossego da madrugada onde ninguém os incomodaria, ouvindo a música ecoar distante em seus ouvidos até que a coletânea terminou, misturando-se ao som de grilos e a quietude do campo.
Os dois não demoraram a cair no sono, quando se deram conta já era de manhã. O sol revelava-se tímido entre as montanhas, Raegar devia estar voltando de suas viagens e Lesten era o primeiro a despertar, pronto para caçar besouros exóticos que só apareciam àquela hora do dia.
O lagarto saiu correndo pelos corredores quando trombou-se com Lee que acabara de usar o banheiro e ainda estava com a escova de dentes na boca.
— Diga aí, el luchador. Viu o ruivo por aí? — perguntou Lesten.
— Não faço ideia — murmurou Lee, ainda meio sonolento. Nunca era uma boa conversar com ele logo de manhã, geralmente acordava de mau humor.
— Só falta ele ter saído para caçar insetos antes de mim... Logo mais o alcanço — Lesten começou a balbuciar para si mesmo, traçando a rota do dia. — O que será que a fêmea vai fazer hoje?
Lesten abriu a porta do quarto de Auria com força e a mulher despertou num salto, a alça de sua blusinha pendendo pelo ombro e Ralph ainda adormecido do seu lado. Lesten arregalou os olhos diante da cena, apontando com o indicador primeiro para ela, depois para ele e para ela de novo.
— QUE? COMO ASSIM? QUANDO ISSO?
— Calma, não é o que você está pensando — Auria tentou inventar uma desculpa quando Lesten avançou em sua direção todo contente.
— Vocês fazem uma festa do pijama e não chamam o lagartão aqui? Poxa, só porque eu não uso roupa não significa que vocês podem me deixar de fora! Chega pra lá, dá um espaço aí pra eu deitar com vocês.
— Lagartixa, você não cabe na cama — resmungou Auria, mas a essa altura o gecko já estava chamando Lee e Hayley para participarem também.
— Caraca, mulher, que bafo. Tu já escovou os dentes hoje?
— Eu acabei de acordar, desgraça.
— Gente — falou Lesten, e todos ficaram quietos. — Alguém soltou um pum ou é só impressão minha?
Auria começou a socá-lo de forma impiedosa. Ralph despertara com o barulho, ele espreguiçou-se e murmurou contente, pois há tempos não tinha uma noite tão gratificante. Agora sabia o que as pessoas faziam de madrugada e mal podia esperar para participar mais vezes.

quinta-feira, 20 de junho de 2019

Capitão Bernard


"Eu não consegui proteger meus amigos, minha família, minha filha... Deveria ter sido eu no lugar deles."   Capitão Bernard, Capítulo 23.

Bernard é um dos integrantes da Ordem do Selamento e descendente dos antigos gigantes, um homem carinhoso e amargurado pelas dores do mundo. O primeiro encontro de Ralph e seus companheiros com Bernard aconteceu durante a travessia pelos mares de Century  uma tempestade atingiu a base flutuante onde os protagonistas estavam hospedados, revelando o infame Navio Fantasma coberto por uma neblina mágica que o tornava quase invisível. Eles se surpreenderam ao descobrir que o interior era dominado por uma estranha calmaria, consequência de como Bernard se sentia vazio e sozinho por estar sendo influenciado por Espíritos De Baixo desde que fugiu para o oceano durante a Caça aos Tótines. Ao se ver livre de um poderoso Obsessor, Bernard revela seu lado gentil e carente aos aventureiros. Bernard recebeu a missão de proteger a Pérola Sagrada após perder sua família, mas nunca soube lutar e sempre abominou violência.

Seu poder mágico permite que estabeleça contato com seu navio e o guie sem precisar de nenhum outro marinheiro. Bernard adora pescar e contar histórias, mas também morre de medo de ser apenas um incômodo indesejável. Nasceu no Porto das Lulas, onde por muitos anos trabalhou com a exportação de mercadorias. No passado também foi amigo de Borkum, o capitão gecko.


Bernard é o quarto integrante da Ordem a aparecer no livro. Encontrar a sua pérola deveria ter sido a última etapa da missão, mas uma coincidência fez com que os jovens trombassem com o Navio Fantasma em sua travessia. O verdadeiro desafio no navio foi enfrentar a imensa quantidade de espíritos que foram atraídos pela solidão e os pensamentos negativos de Bernard que se afundou em melancolia, mas, depois de tratado, tornou-se um companheiro leal, além de cooperar com o transporte de seus amigos sempre que alguém precisa atravessar o Mar Plano e chegar ao continente.

  • Canhão do Oceano [Ofensivo] – Um disparo poderoso com a força de uma onda, mas ao custo de muita energia do usuário que precisa descansar por um curto período;
  • Bolha D'água [Defensivo] – Uma bolha d'água é gerada para prender seus inimigos, podendo até asfixiá-los;
  • Tempestade [Defensivo] – Uma forte tempestade de raios é gerada, alterando o clima da batalha por alguns turnos; 
  • Nevoeiro [Defensivo] – Um nevoeiro é gerado, o que dificulta a visibilidade e a chance de acertos do oponente (Olhos Vermelhos não são afetados); 
  • Gigante [Habilidade Passiva] – Bernard é descendente dos gigantes antigos e tem um aumento considerável em todos seus status, com exceção da agilidade;
  • Domínio Sobre Elemento [Tríade Mágica dos Tótines] – Um dos três poderes primários dos Tótines. Seu elemento é a água;
  • Manipulação [Tríade Mágica dos Tótines] – Bernard tem controle sobre o seu navio;
  • Transformação [Tríade Mágica dos Tótines] – A forma mágica de Bernard é uma baleia-azul.



"[...] em sua frente, puderam ver a forma que se projetava como um monstro marinho. Eles navegavam na direção de um vulto, algo que parecia não existir; quando o perdiam de vista, um relâmpago clareava suas visões com a imagem do Navio Fantasma."
— Capítulo 22.


"Lembro-me de quando eu costumava carregar minha filha assim. Era tão pequenina, cabia na palma da minha mão... Nenhum pai tem de se despedir dos seus filhos antes de sua hora, essa não é a ordem natural das coisas.
 Capitão Bernard, Capítulo 24.

"Aprecio que os jovens corram atrás de seus próprios sonhos por mais impossíveis que pareçam, pois os velhos não possuem a mesma energia, então ficamos em casa a lamentar por tudo aquilo que não tivemos a oportunidade de concluir."

 Capitão Bernard, Capítulo 24.


  • O nome Bernard vem de Bernard Fokke, que originou também a lenda de Davy Jones e seu navio, o Holandês Voador;
  • A ideia do Navio Fantasma vem desde os tempos dos gibis do autor, tornando-se um dos elementos mais misteriosos da aventura. A ideia surgiu do jogo The Legend of Zelda: Wind Waker, com a intrigante missão do navio que só era avistado em determinadas fases da lua durante temporais;
  • O pequeno X no chapéu de Bernard deve-se a uma referência de quando o autor era criança. Na época, Ralph e seus amigos derrotavam o capitão ao consertar o chapéu dele que estava rasgado;
  • Bernard adora cantar, principalmente cantigas de marinheiros;
  • Sua vestimenta faz referência aos almirantes da marinha de One Piece;
  • Segundo as antigas anotações do autor, o nome da filha de Bernard era Atani, mas a personagem foi descartada posteriormente.


quarta-feira, 19 de junho de 2019

Elma


"Sabe por quais motivos sou uma apreciadora de armaduras? Quando vejo meu reflexo nelas sinto orgulho de quem sou, do que venci e me tornei. [...] Sinta orgulho de si, você também é uma guerreira". — Elma, Capítulo 20.

Elma é uma das integrantes da Ordem do Selamento, uma mulher reservada e confiável que vive isolada no Pântano Enferrujado. Exerce sua função como ferreira com maestria, apesar de restringir seus trabalhos.

Durante os anos que sucederam a Caça aos Tótines, Elma atuou como braço direito do até então líder da Ordem, Black Jack, cumprindo seus trabalhos e livrando-se de seus inimigos, o que lhe rendeu  o título de Executora. Foi uma das organizadoras da invasão que resultou na destruição dos laboratórios onde muitos tótines sofriam experiências terríveis nas mãos de Erlenmeyer, mas durante a batalha acabou por perder o braço direito. Ela jamais se perdoou por não ter sido capaz de proteger Black Jack que perdeu a vida durante a batalha.

Desde então, Elma passou a concentrar seus esforços trabalhando em armaduras e equipamentos especiais, mas por não desejar reconhecimento, acabou se escondendo da sociedade. Em seu duelo contra os protagonistas, percebeu que os jovens heróis estavam em posse de dois equipamentos mágicos  a espada de madeira de Ralph e a jaqueta de Auria , além de desejarem reunir as Pérolas Sagradas. Elma ofereceu-se para acompanhá-los, pois no fundo ainda queria livrar o mundo das ameaças de Erlenmeyer. Lá no fundo ela também sentia que a jaqueta de Auria tinha algo de especial...

Elma é uma mulher robusta e muito poderosa, mesmo tendo sido aleijada, encontrou um modo de utilizar seu próprio elemento para criar um braço mecânico. Suas raízes religiosas a levam a acreditar no totinismo, a crença de que a alma dos tótines que se vão podem reencarnar em objetos ou amuletos. Dentre seus passatempos está o ventriloquismo e teatro, prezando a paz e o sossego a uma vida movimentada nas grandes capitais.


Elma é a terceira integrante da Ordem do Selamento a dar as caras na história. Durante sua batalha ela não demonstrou sua real capacidade, preferindo testar os protagonistas com uma de suas armaduras mágicas. Tem poucas aparições durante a história, sendo a mais significativa quando reforja Melodia e a funde com a jaqueta da defensora, melhorando seus efeitos em batalha.

Há planos de se explorar um arco no passado sobre os anos que sucederam a Caça aos Tótines, onde Elma teria destaque como aliada de Black Jack por quem também era apaixonada.

  • Proteção Progenitora [Support] – Elma atua como uma parede entre os inimigos e um aliado escolhido com quem tenha grande afinidade, conferindo um aumento nos status defensivos;
  • Espiral Perfurante [Ofensivo] – Um ataque letal capaz de infligir grande dano ao oponente;
  • Armas Encantadas [Ofensivo] – Diversos equipamentos são manipulados, permitindo que ela empunhe mais de uma arma ao mesmo tempo;
  • Armadura Invocada [Defensivo] –  Uma armadura mágica enfeitiçada pode ser criada para lutar em seu lugar (apenas uma por vez); 
  • Martelo e Bigorna [Habilidade Passiva] – O usuário pode consertar equipamentos destruídos, refiná-los e aumentar seus atributos quando em sua ferraria;
  • Domínio Sobre Elemento [Tríade Mágica dos Tótines] – Um dos três poderes primários dos Tótines. Seu elemento é o metal, resultado de uma mistura entre fogo e terra;
  • Manipulação [Tríade Mágica dos Tótines] – Elma pode manusear metais e moldá-los com facilidade; 
  • Transformação [Tríade Mágica dos Tótines] – A forma mágica de Elma é um rinoceronte.

"Há de chegar o dia em que todos serão amaldiçoados pelos instrumentos que criaram. Neste dia perceberão qual a sensação de tornar-se escravo de seus próprios atos e que jamais sejam libertados desta maldição!
 Elma, Capítulo 19.

"[...] não quero que usem meus equipamentos com fins de guerra, onde as pequenas coisas perdem a sua importância. Os exércitos desejam tudo na quantidade, querem mil espadas para ferir dez mil homens. Sou do tipo que faz pouco, mas que faz bem feito."
 Elma, Capítulo 20.


  • Nas histórias de criança do autor, o personagem de Elma era chamado de Exotines e se tratava de uma espada flutuante. Sempre teve a característica de ser a figura mais madura e responsável da Ordem;
  • De todos os guardiões, Elma era a personagem que o autor menos tem afinidade, o que comprometeu suas aparições no livro, mas espera-se que ela tenha tempo e destaque em futuros capítulos especiais do blog que explorem seu passado como Executora ao lado de Black Jack;
  • Uma das características de Elma nos gibis do autor era andar com um colar de cruz, mas como não há evidências do cristianismo em Sellure, o símbolo foi retirado, ainda que ela tenha mantido sua religiosidade e crenças no Totinismo.

terça-feira, 18 de junho de 2019

Tootie


"Gosto de coisas que não são reais. Aprendi a viver com a ilusão." — Tootie, Capítulo 17.

Tootie é uma das integrantes da Ordem do Selamento, uma garota insegura e obediente que permaneceu escondida nas Ruínas Douradas por oito anos após o falecimento de sua mestra.

Cresceu em uma família pobre dos mercados em Elmud, mas sua vida mudou quando foi escolhida por Cléo para substituí-la como protetora de uma das Pérolas Sagradas. Ao conhecer Bill, outro orfão, Tootie viu uma forte ligação com outra criança pela primeira vez, e os dois começaram a fabricar brinquedos para obter dinheiro. Porém, quando vieram os tempos de Caça aos Tótines, Bill e Tootie foram obrigados a se separarem para proteger suas vidas. Desde então eles passaram oito anos sem ver um ao outro.

Tootie é uma tótines poderosa que controla terra, mas sempre teve dúvidas quanto ao seu potencial. Ela se escondeu nas Ruínas Douradas, onde se dedicou a construir um museu e esculpir peças, um de seus passatempos favoritos. Vive perto de um oásis e sempre adorou a companhia de animais, limitando-se a conversar com humanos apenas quando extremamente necessário. Com a chegada de Ralph e seus amigos, Tootie decidiu abandonar sua vida solitária ao ter conhecimento de que Bill também estava entre eles, procurando estabelecer uma nova vida ao lado dos outros Guardiões da Ordem. Seu sonho é abrir uma loja onde possa vender seus produtos.

É muito pacífica, mas teme sair de sua zona de conforto e preza a tranquilidade. Sofre de imunidade baixa, por isso costuma ficar doente com frequência. Adora maquiagens e produtos de beleza. Apesar de não ser mostrado no livro, Tootie desenvolve uma forte amizade com Lesten, o que é mostrado apenas nas Cenas Deletadas. Ele é o único personagem que a chama pelo apelido de Chanel e a presenteou com uma pelúcia de Dinorros.


Tootie é a segunda integrante da Ordem do Selamento a ser apresentado no livro e, infelizmente, grande parte de suas cenas foram excluídas. Um total de quatro aparições suas deram espaço para que o livro diminuísse o número de páginas, o que colaborou para que a personagem perdesse sua relevância na trama.

O Arco Mysteria envolvia o relacionamento desenvolvido entre Bill e Tootie, antes que Ralph e seus companheiros embarcassem na viagem para a Ilha-S. Havia também um capítulo durante o retorno do Deserto Elmud onde os heróis faziam uma pausa na Pequena Terra em uma casa de banhos e Tootie compartilhava com Auria seu segredo. O capítulo também trazia seu primeiro reencontro com Bill, onde os dois compartilhavam suas dúvidas e inseguranças a respeito das Pérolas Sagradas.


Pouco antes da invasão ao Navio Fantasma, Tootie também dava uma demonstração de seu poder no meio do oceano, utilizando areia para criar um gigantesco anomalocaris que transportava os protagonistas pela tempestade para dentro do navio. A cena foi inteiramente removida para dar espaço a Peter Lee e Hayley, que são os destaques do arco.

  • Gigante de Areia [Ofensivo] – Tootie é capaz de gerar uma criatura gigantesca, mas utiliza uma quantidade absurda de areia. Suas formas preferidas são monstros extintos; 
  • Tempestade do Deserto [Defensivo] – Uma forte ventania faz com que toda areia ao redor seja drenada para perto, protegendo o usuário e recuperando seus níveis de mana; 
  • Insegurança [Habilidade Passiva] – Seu poder é cortado pela metade quando enfrenta um inimigo superior;
  • Criadora de Poções [Habilidade Passiva] – Permite ao usuário o manuseio de ervas e outros itens para produzir os mais variados tipos de poções;
  • Domínio Sobre Elemento [Tríade Mágica dos Tótines] – Um dos três poderes primários dos Tótines. Seu elemento é a terra;
  • Manipulação [Tríade Mágica dos Tótines] – Tootie torna-se mais ágil e poderosa em desertos. Sua ligação com a terra permite que ela manipule a forma que quiser, podendo criar golens e gigantes de areia para lutarem em seu lugar;
  • Transformação [Tríade Mágica dos Tótines] – A forma mágica de Tootie é um Kallumante.


"P-perdão? Ainda sou fraca e não mereço ser tratada como companheira de ninguém".
 Tootie, Capítulo 17.

"
Eu fui adotada pela minha mestra, a senhorita Cléo. Ela foi a mulher mais linda e formosa a pisar nessas terras, mas vivia dizendo que o mundo aqui fora era perigoso e devia ser evitado. Ela me tratava como um tesouro e lutou bravamente para que eu me mantivesse sã e salva todo esse tempo. Não carrego lembranças agradáveis deste mundo..."

 Tootie, Capítulo 17.5 [Cenas Deletadas].

"[...] Vivi minha vida inteira sem ter esperanças de um futuro melhor, e pela primeira vez, sinto que algo continua me empurrando para frente.

 Tootie, Capítulo 17.5 [Cenas Deletadas].

"[...] Tootie corou e agradeceu num aceno gentil. Andava de lá para cá com o ursinho de pelúcia entre os braços, adorava brinquedos e sempre sentira um pouco de inveja das outras crianças que tinham tantos e muitas vezes não brincavam com nenhum deles".
— Capítulo 19.5 (Parte 1), quando Tootie recebe sua pelúcia em forma de Dinorros de Lesten.

"Bill! Bill, você veio, eu sabia que viria! Eu fiquei com tanto medo [...] e-eles fizeram coisas terríveis comigo..."
— Tootie, O Passado da Ordem: De Mãos Dadas com Seu Reflexo.

  • Seu nome completo é Tutantótines Ankha III. O primeiro se deve por causa do chefe chamado Tutankoopa de Paper Mario, que por sua vez é inspirado em Tutankhamon, um dos faraós mais famosos do egito antigo. Tootie acabou por tornar-se seu apelido e, apesar de Ankha também ser um nome, nenhum personagem a chama dessa maneira nos livros. O terceiro por sua vez se deve ao fato dela ser a terceira na linhagem de proteção das pérolas, sucedendo sua mestra Cleópatra;
  • A criatura em sua tiara é um Kallumante, uma espécie de artrópede extinto de Sellure, baseado nas trilobitas;
  • O fato de Tootie usar peruca remete ao fato de que no egito antigo era muito comum como forma de higiene, religiosidade e estética;
  • Desde a época dos gibis do autor, Bill e Tootie sempre foram os integrantes com maior proximidade;
  • No começo da história, Tootie era na verdade um homem;
  • Apesar de não ter tido a chance de demonstrar seus poderes, Tootie é uma das integrantes com o maior potencial da Ordem;
  • A Pérola de Ouro protegida por Tootie é um dos tesouros mais famosos e cobiçados de Sellure, não por sua influência como Pérola Sagrada, mas porque ladrões e gente influente sempre acreditou que seu valor fosse descomunal, o que levou Tootie a se esconder da sociedade;
  • Os brincos de esmeralda de Tootie pertenciam à Velouria, irmã mais velha de Bill.


sexta-feira, 14 de junho de 2019

Os 17 easter eggs de Aventuras em Sinnoh

Antes de começar a escrever Matéria eu tinha uma bagagem de quase cinco anos escrevendo uma fanfic de Pokémon chamada Aventuras em Sinnoh. Devo dizer que ela foi um dos meus maiores sucessos, o blog alcançou o incrível marco de 1 milhão de visualizações e pude formar vínculos fortes com leitores e amigos graças a essa história.

Se você não estiver familiarizado com o termo, saiba que não há ovos de páscoa literais escondidos entre as páginas do livro — digamos que a parte divertida seja a ideia de encontrá-los. Easter eggs é o termo utilizado para definir uma surpresa encontrada em um jogo, seja ela um personagem, objeto, vídeo ou até mesmo algum elemento completamente inútil.

Eu estava nos capítulos finais de AeS enquanto escrevia Matéria, toda vez que eu precisava encaixar algum personagem figurante eu usava o nome de alguém que pertencia à fanfic. Foi quando tive a ideia de começar a encher o livro de easter eggs, e mesmo que seja para um público seleto que conheceu a Aliança Aventuras, logicamente, tudo não passa de uma brincadeira e nada disso influencia diretamente no enredo nem atrapalha a experiência no universo de Sellure. 

Digamos que se trata uma de uma homenagem aos leitores que me acompanham há tanto tempo, espero que esses nomes e situações consigam arrancar um sorriso do rosto de vocês!

1. O nome das estações
Trecho: "O apito do trem soou estridente e a máquina de ferro deixou a Estação Pérola em direção da Estação Diamante na província vizinha".
Onde encontrar? Capítulo 2, página 17.

Logo no começo do livro identificamos que Ralph está rumando para a Vila das Pérolas e acaba por passar por uma estação de nome semelhante. Poderia ser apenas uma coincidência, mas quando essa estação segue em seguida para a Diamante é que surge o easter egg. Pearl and Diamond além de serem os nomes dos jogos que se passam na quarta geração em Sinnoh é também a mesma ordem das duas primeiras temporadas da fic: Saga Pérola e Saga Diamante. Pelo visto as pérolas estão sempre ligadas à ideia de começo!


2. Uma pesquisadora conhecida
Trecho: "— Dawn, o que aconteceu com todo mundo? — Auria perguntou para uma companheira dos treinos de magia que passava ao seu lado carregando cinco livros."
Onde encontrar? Capítulo 4, página 31.

Esse estava bem na cara! Parece que depois de tentar carreira como pesquisadora, Dawn Manson começou a investir em seus poderes mágicos. (Só acho que ela deveria tê-los usado no Spear Pillar para salvar o mundo...)


3. O campeão está entre nós
Trecho: "A casa estava vazia. Na parede, uma nota confirmava a disponibilidade e o aguardo da chegada do novo aprendiz chamado Luke Wallers nas próximas semanas."
Onde encontrar? Capítulo 5, página 46.

Provavelmente o primeiro easter egg que pensei e que deu origem a todos os outros mais tarde. Parece que descobrimos por onde Luke Wallers andou depois de deixar seu cargo como campeão. Esse garoto nunca se cansa mesmo!


4. Um gibi perdido na biblioteca
Trecho: "Lesten estava apoiado no corrimão folheando um livro chamado 'As Aventuras do Dragão Guerreiro', mas não teve paciência de ler o primeiro parágrafo e logo o descartou."
Onde encontrar? Capítulo 11, página 97.

"As Aventuras do Dragão Guerreiro" é o título do primeiro conto compartilhado pelos Fire Tales em um dos especiais de maior sucesso de AeS. Pelo visto a história não cativou o bastante, porque nem Lesten teve paciência de terminar (o Dragão Guerreiro por sinal é o Aerus, e não o Kung Fu Panda).


5. Uma estátua no Castelo da Fachada
Trecho: "Auria atentou-se a uma pequena estátua de um dragão feroz batalhando contra uma enorme serpente de metal e gostou daquele trabalho".
Onde encontrar? Capítulo 11, página 100.

A morada do misterioso Facade é um prato cheio de easter eggs! O primeiro deles é notado logo quando os protagonistas entram no castelo e se deparam com essa estátua que faz referência ao combate icônico entre Aerus e Titânia no Capítulo 99 de AeS, ou melhor, um duelo feroz entre um Garchomp e uma Steelix.


6. Um livro no Castelo da Fachada
Trecho: "Ralph pegou com cuidado um livro sobre a mesa que despertara seu interesse, o título 'O Fim de um Legado' estava gravado em letras prateadas e serifadas".
Onde encontrar? Capítulo 11, página 100.

"O Fim de um Legado" foi o primeiro especial de AeS, e até hoje é lembrado como um dos melhores. Ele abriu portas para diversos outros especiais no formato de três ou cinco capítulos que vieram depois e foi marcado pelos ótimos personagens. Pelo visto a história repercutiu tanto que chegou até mesmo em Sellure!



7. Os viajantes do deserto
Trecho: "— Vê-los assim até me lembrou de nossas crianças, sempre em busca de aventuras! Eles não são lindos, Walter? [...] — Querida, pare de assustá-los — respondeu Walter. — Nosso mundo tem coisa pior".
Onde encontrar? Capítulo 15, página 134.

E falando na ex-elite, parece que o velho campeão e sua esposa decidiram tirar umas férias enquanto seus filhos estavam longe. Em um encontro inusitado no deserto, quem conheceu essas duas figuras tão importantes em Sinnoh deve ter dado risada com a situação. Por sinal, o velho Walter chega até a quebrar a quarta parede: "Nosso mundo tem coisa pior". Hmm, será que eles pediram a ajuda de Paula para viajar entre dimensões?


8. A dupla do pântano
Trecho: "Mosquitos zanzavam em cima de suas cabeças, alguns crustáceos escondiam-se nas poças assim que os viajantes passavam por perto e um sapo sorridente brincava com uma libélula travessa em sua boca antes de consumi-la.
Onde encontrar? Capítulo 18, página 160.

Jade e Yoshiki é uma das duplas mais adoradas de AeS. Mesmo com poucas aparições, o Toxicroak de sorriso maquiavélico e a Yanmega masoquista são sempre vistos juntos em qualquer situação que envolva perigo. Tendo sido capturados na pantanosa Safari Zone de Sinnoh, esses dois voltam a ter uma pequena aparição no sinistro Pantanoon. Pelo visto nesse universo o amor deles continua... excêntrico.


9. De volta ao aquário 
Trecho: "[...] do outro lado do balcão havia um lindo aquário de água salgada com muitas espécies e criaturas diferentes, desde corais coloridos que carregavam colônias inteiras até tubarões e arraias [...] Ralph perdeu alguns segundos encarando um cavalo-marinho azul e um peixe feio antes que seus amigos o apressassem."
Onde encontrar? Capítulo 20, página 182.

Mikau e Milena são duas das figuras mais famosas dos Fire Tales e eles não poderiam perder a chance de dar as caras aqui! Só é uma pena vê-los de volta a sua forma original, como um indefeso Horsea e uma Feebas esquisita. Os dois foram entregues aos protagonistas pela primeira vez no aquário do Hotel Deluxe Heart.


10. O ataque mais poderoso do mundo 
Trecho: "— Raposinha, como é que tu luta? — Lesten perguntou. — Tipo, tu ataca seus inimigos com a Explosão de Fofura?"
Onde encontrar? Capítulo 21, página 191.

Watt nunca foi dos integrantes mais fortes da equipe, tanto que Aerus brincava com frequência que seu golpe mais poderoso era a Explosão de Fofura. Em Sellure, parece que o posto foi passado para a pequena Hayley (a diferença é que ela carrega facas e bisturis).


11. A guerreira da ilha de fogo
Trecho: "— Meu nome é Lyndis, sou parte dos guerrilheiros locais, criamos nosso próprio armamento uma vez que o reino não dá mais atenção para focos longe da civilização, como nos consideram".
Onde encontrar? Capítulo 25, página 221.

Nossa Lyndis dos Fire Tales foi baseada na Lyndis de Fire Emblem: Blazing Blade, e veja só, há mais uma Lyndis por aqui também! A única semelhança entre elas é o nome, mas impossível não associar a ilha de fogo com essa Infernape guerreira.


12. Os programas esquisitos da TV
Trecho: "— Prefiro ficar aqui diante dessa maravilhosa tela mágica, assistindo a essa disputa intensa entre uma tartaruga manca e um dragão. O mais bizarro é que a tartaruga está dando uma baita surra nele... Quem produz essas coisas?"
Onde encontrar? Capítulo 26, página 231.

Uma tartaruga manca dando uma surra em um dragão? Onde é que já ouvi isso? Ah, sim, estamos falando das finais da Liga Pokémon de AeS, quando o Torterra de Stanley (que tem uma pata mecânica) praticamente sozinho derrota metade dos Fire Tales. É, Aerus, sua batalha contra o Drinian apareceu na TV até para outros universos!


13. Mais programas estranhos
Trecho: "[...] Suas pupilas se dilatavam, estava entretido demais com um filme que contava a história de gêmeos heterozigotos que se apaixonam pelo mesmo garoto até que um ciborgue maligno é enviado para extinguir esse amor."
Onde encontrar? Capítulo 28, página 248.

Wiki, Mozilla e Marco devem formar um dos casais mais estranhos e adoráveis de AeS. Wiki e Mozilla não são exatamente gêmeos, mas  é sempre cômico pensar que os dois são apaixonados pelo pobre Marco e, para piorar, Vista está sempre aí para colocá-lo como cobaia de seus experimentos. Isso por si só daria um baita seriado!



14. As duas crianças
Trecho: "— Evangeline, você tá bem? — o menino esbravejou, colocando-se na frente de sua amiga. — O que você fez com ela? [...] — Tommy, tá tudo bem..."
Onde encontrar? Capítulo 31, página 283.

Quando Raegar chega ao Vale dos Ventos, três crianças brincavam tranquilamente, sendo que uma delas se chamava Evangeline e a outra, Tommy. Para quem não se lembra, Evangeline é o nome verdadeiro de Eva, a Espeon de Lukas; e Tommy é o apelido de Tom Sawyer, seu Lucario. Os dois sempre foram grandes companheiros e melhores amigos na fanfic.


15. A bebida da Semente Venenosa
Trecho: "— Me vê a melhor e mais cara bebida que você tiver — respondeu o visitante com a voz autoritária, como se o testasse. — Flamboyant Passion, fazendo o favor."
Onde encontrar? Capítulo 33, página 302.

Johnny Goldo pode ser apenas um pirata maltrapilho, mas ele sabe escolher seus drinks. Flamboyant Passion é o nome da guilda de Bonna Party, a Magmortar, uma das integrantes dos Remarkable Five e melhor atiradora de Sinnoh.


16. Karl e Sophie
Trecho: "[...] Karl, o barman careca, ficaria algum tempo desocupado até que conseguisse reconstruir sua taverna para sua clientela de criminosos. Enquanto não retornava à atividade, os fregueses foram convidados a visitarem a Árvore Vigorosa, o bar logo do outro lado da rua que pertencia à dona Sophie, sua mãe, que oferecia leite com biscoitos e era bem mais gentil."
Onde encontrar? Capítulo 39, página 344.

O barman careca do Semente Venenosa pode ser apenas um figurante, mas ele tem uma curiosidade: após os Seis Meses de Treino, o Karl da Fire Tales também voltaria careca! Karl e Sophie não são mãe e filho biológicos, mas assim se consideram. A Gardevoir e o Togekiss presenciam um dos capítulos mais dramáticos da Liga Pokémon, a Segunda Casa. Bom saber que eles decidiram abrir um bar após o ocorrido.


17. Batatas gratinadas
Trecho: "[...] corria com os pratos na cozinha, tinha prática por conta do Soleil, seu café/lanchonete que era tradição na vila, quando soube que haveria mais visitas começou a preparar as batatas gratinadas que Raegar adorava".
Onde encontrar? Capítulo 40, página 365.

E finalmente, aqui estão elas — as lendárias, deliciosas, o começo de tudo — as batatas gratinadas! Esse prato representa um dos maiores símbolos da Aliança Aventuras, e a história não estaria completa se alguém em Sellure não citasse sua produção. Doppel é um cozinheiro de mão cheia, e preparar batatas gratinadas para seus hóspedes é muito mais do que servir uma refeição. Essas batatas significam um elo, uma ligação de família. O último capítulo de Matéria - Espada de Madeira faz referência ao primeiro capítulo do Aventuras em Sinnoh que se iniciou lá em Maio de 2010. Que jornada!


EXTRAS

  • Qualquer relação com o número 17 não foi contado como easter egg. Quem é de casa sabe que esse número é sagrado para nós (não, não tem nada a ver com política, sai daqui), porque é a data em que a maioria dos nossos blogs foi fundado e sempre brincávamos ao dizer que nos dias 17 coisas boas aconteciam;
  • O personagem chamado Canas também não foi contado como easter egg, uma vez que ele faz parte direta da história nos livros seguintes;
  • Esse aqui não é bem um easter egg de Sinnoh, mas quando Dona Lurdinha faz a ligação para efetuar a dispensa de Ralph no Capítulo 3, o número de protocolo dito por ela é 220-64-3, que costumava ser o número de registro do autor na faculdade.

Menu Principal






Menu Secundário






Estatísticas




POSTAGENS
COMENTÁRIOS

PARCEIROS [BUTTON]

Tecnologia do Blogger.

Comentários Recentes

+ Lidas da Temporada