quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Itens e Produtos #01 - Tabuleiro e Cards

Sempre fui apaixonado por vídeo games desde criança, logo, eu gostava de imaginar como seriam meus jogos caso eu decidisse seguir carreira com isso. Apesar de não ser nada muito sofisticado e muito menos tecnológico na época (afinal, estamos falando da mente de uma criança de 10 anos com acesso apenas à lápis e papel sulfite *risos*) eu vivia procurando ideias e formas de expandir a influência de meus personagens em meu próprio mundo.

Enquanto revirava algumas pastas no meu quarto, deparei-me com desenhos e arquivos muito curiosos que remetem aos primeiros anos de criação do universo do Ralph. Aparentemente eu adorava jogos de tabuleiro, a sensação palpável de ter no que mexer, o fator da sorte aplicado aos dados e a enorme quantidade de extras que eu poderia aplicar para tornar tudo mais interessante.

E não podemos esquecer as cartas! Que criança não adora colecionar algo? Sejam cards, brinquedos, bolinhas de gude ou qualquer outra coisa interessante. Eu nunca abandonei meu hábito de colecionar, pela quantidade de desenhos velhos que encontrei em minhas gavetas acho que posso dizer que sou um colecionador de obras das mais diversas pessoas ao meu redor (tenho algumas terríveis, outras nem tanto *risos*). Uma porção deles. Eu sempre adorei passar horas tendo ideias, imaginando projetos durante semanas que muitas vezes eu nem tinha o intuito de terminar. Mas acredito que o importante é desenvolver essa criatividade, hoje posso sorrir ao me deparar com algumas dessas pérola e poder compartilhá-las com vocês. Divirtam-se!

Super Trunfo


Esse é um dos meus favoritos. O Super Trunfo é um jogo que fez parte da infância de muita gente, especialmente por ter várias temáticas divertidas como cães, tubarões, países, carros, aviões, franquias e por aí vai. Mesmo hoje, ainda me divirto com eles. Como bom apreciador de jogos de carta que sempre fui, Pokémon TCG, Yugi-Oh! e derivados serviram bem como uma fonte de inspiração para minhas ideias. Era comum que eu tentasse criar algo com meus próprios personagens,  crianças adoram copiar coisas (ou melhor, eu diria "inspirar-se") e levando em conta que o Super Trunfo parecia ser a ideia simples, logo foi o escolhido.

As cartas somavam XX no total. Eram todas feitas à mão, com acréscimo de 10 "cartas especiais" que ganhavam de praticamente todas as outras com certa facilidade (os famosos cheaters, haha.) Eu levava estes cards para viagens longas de carros e passava horas me divertindo com amigos e familiares. Bons tempos. Até hoje tenho apego por eles, e mal posso esperar para refazer cada um desses personagens numa versão atual e melhorada como no Super Trunfo dos Fire Tales que fiz para o Aventuras em Sinnoh.

Tabuleiro versão 1.0

Este aqui deve ser um dos joguinhos mais antigos que tenho guardado, e lembro-me que também me diverti bastante com ele. A mecânica funcionava como um tabuleiro, havia dezenas deles, deviam ser vinte ou trinta e cada dia eu fazia mais! Quando terminávamos uma partida, recebíamos pontos que eram utilizados para que comprarmos mais fases e personagens diferentes (a verdade é que alguns desses nem eu desbloqueei, eram tantos! *risos*).

O problema para mim era: onde guardar tudo isso? Juro que pensei jogá-los fora num dia desses porque ocupavam muito espaço e eram bem frágeis, mas foi então que cheguei à conclusão de que papel pode ser dobrado e guardado sem maiores problemas. Se eu estivesse jogando isto até hoje, eu provavelmente ainda não teria desbloqueado todos esses personagens *risos*.

Tabuleiro versão 2.0


Este aqui pode ser compreendido como uma versão melhorada do antigo. Agora os personagens são pintados, assim como o cenário, sendo que algumas das estruturas até pipocavam para fora, isso sim era demais! Lembro-me de trabalhar nele durante uma semana inteira, mas a mecânica que elaborei era tão complexa, mas tão complexa, que nem eu soube jogar. Resultado: Nunca testei, nunca joguei, e hoje é apenas uma dessas curiosidades que tenho guardado. Como será que funcionava?

Inclusive, é divertido notar que o Ralph (supostamente o personagem principal da jornada), não está entre os personagens jogáveis. Deve ser como aqueles jogos de antigamente, onde você tem de desbloquear tudo. Somente agora que tenho o livro pronto é que aprendi a gostar do Ralph como protagonista, afinal, não haveria como eu construir uma história tão longa em cima de um personagem tão importante que não gosto, isso destruiria os laços entre escritor e leitor. O Ralph costumava ser um bobão infantil, mas ele tomou uma dimensão muito mais profunda e interessante.

● ● ●

Chego à conclusão de que eu tinha muito tempo de sobra para criar coisas que nunca iria usar. Mas essa é a dádiva de ser criança, não? Brincamos por brincar. Não estamos avaliando nada, nem testando, só queremos nos divertir.

Tudo era feito com muito carinho e amor, mesmo que eu nunca imaginasse que fosse mostrar isto para alguém. Tenho orgulho desses projetos, mas sinto falta dessa habilidade de sentar-me na mesa num dia qualquer e, literalmente, fabricar algo. Super Trunfos, jogos de tabuleiros, cards, o que quer que fosse. Hoje passo horas navegando na internet pesquisando sobre capivaras no wikipédia, mas e o conteúdo produtivo, cadê? Acho que preciso de algumas aulinhas com meu velho eu...

  12 comentários:

  1. Que incrivel, vc devia falar cm alguem pra fazer um jogo de celular do Ralph dps q o livro lançar >u<

    "pesquisando sobre capivaras" hesuheush wtf

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz, já pensei muito nisso kkk Na época eu queria mesmo era fazer um jogo para a Nintendo, até porque levando em conta o tamanho do universo do Ralph precisaríamos de várias sequências ou pelo menos uma penca de DLCs! Não acho que um mobile conseguiria suportar kkk Mas vamos subindo aos poucos, pensar em jogos mais simples aos sofisticados. Um dia ainda estaremos aí testando jogos dessa história e compartilhando com os amigos!

      Hahahah Pesquisar sobre capivaras no wikipedia é vida cara, tenho um longo histórico com essas criaturinhas :v

      Excluir
    2. Eita, mas no futuro a gente pensa nisso

      UHAWDUDHAUDHAU

      Excluir
  2. AFF VELHO ;-;
    AGR EU FIQUEI COM VONTADE DE JOGAR O TABULEIRO VERSÃO 2.0 ;-;
    CANAS, FAÇA A 3.0 AGORA :v
    (E COM PERSONAGENS DE SINNOH)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dessa vez vou tentar criar um jogo que seja menos complexo, preciso ao menos entender o que estou criando kkkkkkkkk Mas o legal desses tabuleiros era a possibilidade de tocar nos personagens e nos mapas, mesmo que fossem feitos apenas de papel. Não sei se ainda tenho paciência e criatividade de cortar peça por peça, arranjar onde guardar, pensar nas regras... De onde será que saía tanta inspiração? kkk

      Ah, mas um tabuleiro para os Fire Tales seria a coisa mais épica do mundo! :v

      Excluir
  3. Cara,esses monstrinhos me lembram Bugous e Jelly Coelhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na realidade essas criaturinhas eram baseadas nos Porings do jogo Ragnarok. Dei uma olhada na internet e parece que Bugous são de um game chamado DDTank, certo? Parece interessante, mas nunca tinha ouvido falar.

      Sempre curti essas criaturinhas com cara fofa, mas depois que tentei introduzir esses monstrinhos ao universo dos livros ficou horrível, terrível, e todos adjetivos piores que você possa encontrar kkk É difícil levar a sério um inimigo com essa aparência, logo, fui obrigado a recriar completamente muitos de meus personagens e inseri-los num contexto que os tornasse mais interessantes. Com isso, abandonei completamente a referência dos Porings/Bugous/Jelly Coelhos ou o que quer que eles pareçam kkkk Quando o livro chegar, poderemos conhecê-los com muito mais profundidade!

      Excluir
    2. Bem,você esqueceu do mais importante:Slimes de Dragon Quest!
      Mas bem,eu tinha me esquecido completamente dos Porings.Cara,me lembro que na primeira vez que joguei Ragnarok,eu matai um e recebi uma Maçã Verde(algo assim),e como um bom retardado,eu vendi!E só depois fui saber que era pra domesticar Porings!

      Mas bem Canas,em minha opinião,a melhor forma de representá-los é na forma de slime corroedor de roupas!!!!Pois é um clássico em light novels!

      Excluir
    3. kkkkkkk Mas poxa, Maçã Verde dava pra vender por 500 zeny no Rag, é uma boa graninha pro começo :v Ainda mais levando em conta que a chance de captura são pequenas, o Poring ainda pode escapar! hahah

      Slime corroedor de roupas? Preciso pesquisar mais sobre o assunto, mas se for exatamente o que estou pensando parece bem interessante kkk Temos um bom repertório de monstros pelos jogos online, mas tentarei criar algo próprio, estou fazendo o possível para me afastar da ideia de anões, elfos, orcs e todo o restante que sempre aparece na literatura fantástica. Bom, vamos ver o que surge de bacana até o livro ser lançado, posso melhorar muitas ideias até lá (:

      Excluir
  4. Nossa, que massa cara! *-* Sua imaginação realmente era rica desde criança e teve boas influências hahaha Eu era muito assim também. Criei um jogo de tabuleiro inspirado em Yugi-oh que eu amava jogar com meus amigos e primos. Como eu queria um tabuleiro grande e firme e no papel não teria como eu acabei tendo a incrível ideia de fazer em uma pedra bem grande que tinha na minha casa (não vou lembrar que pedra era, mas era lisa tipo mármore, cinza escuro e dava para escrever nela (com outra pedra hahaha). Outra coisa que fiz foi fazer cartas de "pokemons reais" e suas evoluções. Eu via um animal da vida real e fazia uma carta baseada nele, só que com elementos mais fantasiosos, e brincávamos com essas cartinhas e suas evoluções hahaa Quem nunca brincou de capturar "pokemons reais"? hahaha Pena que não tenha nenhuma dessas coisas guardadas =/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Putz, que pena que não guardou nada disso! Agora só viverão nas memórias suas e daqueles que presenciaram... Eu protejo essas minhas ideias como tesouros cara, e eu deveria aprender com elas. Antigamente, quando dava vontade de criar eu ia lá e fazia. Agora penso mil vezes e invento mil motivos só para não pegar num lápis e tentar desenhar kkkk Mas sério, as pessoas deviam prestar mais atenção nas ideias das crianças, tem muita coisa interessante.

      Algum dia, num futuro distante, eu espero refazer o super trunfo e o tabuleiro do Ralph! Vai que você também traz de volta esse jogo de cartas com um update, não?

      Excluir
    2. Isso seria bacana até para seus leitores hahaha

      Excluir

Menu Principal






Menu Secundário






Estatísticas


POSTAGENS
COMENTÁRIOS
Tecnologia do Blogger.

Companheiros de Aventura

Comentários Recentes

+ Lidas da Temporada